Instagram agora é Facebook

Facebook comprou Instagram por US$ 1 bilhão em 9 de abril. Foto: Getty Images

Facebook comprou Instagram por US$ 1 bilhão em 9 de abril
Foto: Getty Images

Negociado por Zuckerberg, preço do Instagram caiu pela metade

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, negociou pessoalmente a compra do Instagram, anunciada na semana passada por US$ 1 bilhão. Segundo reportagem publicada nesta quarta-feira pelo jornal americano The Wall Street Journal, o preço pago pelo Facebook pela empresa é a metade do que pedia o CEO do Instagram, Kevin Systrom: US$ 2 bilhões.

De acordo com o jornal, apenas um dia antes do anúncio da aquisição Zuckerberg reuniu o conselho de administração da rede social para falar das negociações, que haviam começado três dias antes e já estavam concluídas.

Compra do Instagram
A aquisição foi anunciada pelo próprio Zuckerberg em post do Facebook em 8 de abril, em que ele afirmou que não se tratará de uma integração com a rede social. O objetivo é fortalecer o aplicativo e fazer o Instagram evoluir de forma independente, em vez "de simplesmente tentar integrá-lo a tudo que existe dentro Facebook".

"Planejamos manter características como a opção de postar em outras redes sociais, a opção de não compartilhar suas fotos do Instagram no Facebook e a alternativa de ter seguidores e seguir as pessoas separadamente de seus amigos no Facebook", afirmou Zuckerberg. "Milhões de pessoas em todo o mundo adoram o app. Instagram e a marca associada a ele. Nosso objetivo é ajudar a divulgar este aplicativo e marca para muitas outras pessoas", escreveu.

"É importante dizer que o Instagram não vai mudar. Nós vamos trabalhar com o Facebook para evoluir o Instagram e construir a rede. Nós vamos continuar a adicionar novas funções ao produtor e encontrar novas maneiras de criar uma experiência melhor com fotos", afirmou na data o CEO do Instagram, Kevin Systrom, em postagem no blog da companhia.

O Instagram causou comoção nas redes sociais menos de uma semana antes da compra pelo Facebook, no anúncio de sua chegada para dispositivos Android. Até então apenas disponível para aparelhos da Apple, o aplicativo já havia alcançado a marca de 27 milhões de usuários. Em menos de 24 horas após sua chegada ao Android, o Instagram teve mais de 1 milhão de downloads.

Fonte Terra

Anúncios

Como Iniciar um Negócio de Fotografia ou ser um Fotógrafo Profissional

Tirar fotos para outros pode levar a uma carreira emocionante na fotografia. Um fotógrafo profissional precisa de experiência para comercializar suas fotos. Ela ajuda a exibir uma variedade de fotografias em sua carteira de demonstrar o seu estilo. Muitas vezes, os clientes escolher um fotógrafo baseado nos tiros de carteira sozinho. Para iniciar seu próprio negócio fotografia, você vai precisar comprar o equipamento. De acordo com o empresário, o intervalo aproximado de um capital inicial que você precisa para começar este negócio é entre US $ 2.000 a US $ 10.000.

Passo 1

Identificar os serviços que pretende oferecer no negócio de fotografia. Um fotógrafo pode construir um negócio em torno de tirar fotos de pessoas, animais, paisagens ou objetos e pode se especializar em casamentos, fotos do bebê ou imagens estoque de produtos para websites. Necessidades de equipamentos variam dependendo do caminho que você escolher para o seu negócio. Fotografia de objetos requer uma caixa de luz para capturar uma imagem sem fundo, enquanto estúdio de fotografia tradicional dos povos requer iluminação, cenários e adereços.

Passo 2

Construir o seu portfólio. Antes que você pode vender a sua fotografia, você deve ter algo para mostrar aos clientes potenciais. Comece tirando fotos de pessoas e objetos nas áreas de fotografia que você escolheu para o seu negócio. Desafie-se a tirar pelo menos uma foto portfolio digno de diária. Ofereça aos seus amigos e familiares livres sessões de fotos para imagens para adicionar ao seu portfólio. Coloque suas fotos juntos em um livro e construir um site para mostrar seu portfólio para o público.

Passo 3

Criar um plano de negócio de fotografia. Documentar o propósito de seu negócio e definir metas para alcançar os objetivos de negócio. Apresentar o seu plano a potenciais investidores para solicitar apoio financeiro para os custos de arranque para sua empresa. Modelos de análise e planos de amostragem de negócios localizadas no site Small Business Administration.

Passo 4

Arquivo para registrar o nome da empresa, se for algo que não seja seu próprio nome. Procurar nomes de negócios disponíveis no seu site secretário de estado, e em seguida, registrar a sua própria. As taxas variam de estado para este registro.

Passo 5

Obter uma licença de negócio de sua cidade ou estado. Os EUA Small Business Administration oferece uma ferramenta que permite pesquisar as licenças que você precisa em sua cidade ou estado através do site Business.gov. As taxas variam de estado para o licenciamento de uma empresa.

Passo 6

Aquisição de equipamentos de fotografia e suprimentos. Se você ainda não possui uma câmera de qualidade profissional, comprar um, junto com outras lentes de coordenação para uma variedade de tiros. Montou um estúdio para retrato close-ups e fotos de interiores com adereços. Crie o seu estúdio em uma área de sua casa, ou alugar o espaço em um edifício para o seu negócio. Selecione e compra de edição de foto software de computador para melhorar as suas fotos antes de serem enviados para a impressora.

Passo 7

Comercializar o seu negócio. Participar de feiras e exposições para mostrar o seu trabalho para outros. Anuncie seu negócio através da mídia local, como a televisão, rádio e publicidade impressa. Oferecer descontos para seus clientes atuais para se referir às pessoas que elas conhecem, ou oferecer descontos a eles com base no tipo de fotografia que você está fazendo. Por exemplo, se um casal quer tirar fotos de seu casamento, oferecer-lhes um compromisso sentado gratuitamente. Alternativamente, se um pai quer que você tirar fotos de seu filho recém-nascido, oferecem um pacote para levar recém-nascidos, de três meses, fotos de seis meses, nove meses e um ano a uma taxa reduzida.

Coisas Necessárias

Câmera
Backdrops
Equipamentos de iluminação
Adereços
Foto software de edição
Computador
Impressora de fotos

Fonte Finslab

GoPro abandona o mercado de drones e coloca empresa à venda

GoPro à venda

Nesta segunda-feira (8), a CNBC informou que o GoPro, ou mesmo parte dela, está sendo colocada à venda. A empresa contratou a JP Morgan Chase, instituição líder mundial em serviços financeiros, para ajudar a buscar um comprador ou parceiro em potencial. A JP Morgan ajudou a subscrever a oferta pública inicial da GoPro em 2014.

“Se há oportunidades para nos unir com uma empresa maior para tornar a GoPro ainda maior, é algo que gostaríamos”, disse Woodman.

Também foi anunciado que o mercado de drones está sendo abandonado e 20% de sua força de trabalho está sendo cortada, confirmando demissões importantes na divisão aérea da empresa. As ações da empresa caíram depois de perder estimativas de receita e agora ela foi colocada à venda. Além disso, para tentar resolver a sua crise financeira, a GoPro anunciou a redução de sua força de trabalho global de 1.254 funcionários para menos de 1.000, um corte de mais de 250 posições. O CEO Nicholas Woodman também reduziu seu salário ao valor simbólico de US$ 1.

Fim da linha de drones

Embora tenha sido o 2º dispositivo mais vendido na sua categoria, o drone Karma apresentou uma série de problemas de funcionamento e está sendo retirado da linha de produção, deixando a japonesa DJI com um concorrente a menos no mercado que domina.
Esses fatores em meio a um mercado aéreo extremamente competitivo tornaram a produção do drone insustentável e a GoPro vai sair do segmento depois de vender seu inventário de Karma remanescente. Porém, a empresa afirmou que continuará a oferecer serviços e suporte aos usuários do dispositivo.

Via: iPhoto Channel
Fonte amorpelafotografia.com.br

Fotografe com menos ruído em ISO alto

Um dos maiores motivos da frequente troca de equipamentos por parte dos fotógrafos é a busca por imagens mais limpas com ISOs elevados. A cada novo lançamento, os desenvolvedores buscam aprimorar a eletrônica das câmeras fotográficas em busca da menor incidência possível de ruído em altas sensibilidades.

Porém, para a grande maioria dos fotógrafos, trocar de câmera a cada lançamento é uma realidade bem distante. Pensando nisso, resolvi buscar uma alternativa. Não chega a ser a salvação da pátria, mas pode dar um fôlego extra para quem ainda não pretende quebrar o cofrinho e contar todas as moedas para adquirir um novo brinquedo.

Antes de saber como regular sua câmera para gerar menos ruído, é importante entender um pouco o processamento de imagens interno. Traduzindo para uma forma bem simples, o processo de formação da imagem passa por duas etapas: captura (sensor) e processamento (processador de imagens).

Na captura, o sensor da câmera, formado por uma determinada quantidade de pixels, recebe a informação luminosa que passa pela objetiva.

Cada sensor possui um valor de sensibilidade ideal, normalmente o menor número apresentado pela câmera. No caso da Nikon D300, por exemplo, este valor é 200. Abaixo ou acima disso, tudo é feito pelo processador de imagens.
Neste ponto, a densidade de pixels do sensor é fator determinante para a qualidade final da imagem. Na Nikon, por exemplo, existem dois sensores bem conhecidos: DX e FX. A diferença entre eles está basicamente no tamanho e, consequentemente, na densidade de pixels.

Para tornar a leitura mais fácil, segue uma analogia:

Peque 10 palitos de dente e coloque em uma caixa de fósforos. Agora, peque os mesmos 10 palitos e coloque em uma caixa de sapatos.
Os 10 palitos estão presentes nos dois casos, mas com muito mais espaço entre eles na caixa de sapatos.

Voltando ao tema, a caixa de fósforos é o sensor DX, a de sapatos o FX. Os dois, com a mesma resolução, possuem a mesma quantidade de pixels, mas com densidades diferentes. E quanto maior a densidade, neste caso, menos informação cada pixel capta. Com densidade menor, no caso do sensor FX, cada pixel consegue captar uma quantidade maior de informação luminosa.

Posteriormente, um processador de imagens com um software específico, processa essas informações captadas por cada pixel e aplica uma série de algoritmos para gerar a imagem final.
E é justamente nesta segunda etapa onde podemos interferir para conseguir resultados melhores com sensibilidade elevada.

E o ruído?

As informações repassadas pelo sensor nem sempre são completas. Muitas vezes, nas áreas de baixa luz, os pixels não conseguem captar nenhuma informação. O resultado são falhas que precisam ser preenchidas para que a imagem não tenha, literalmente, buracos. Programado para fazer isso, o processador de imagens simplesmente preenche tais falhas com um valor aproximado aos pixels adjacentes. Como o valor não bate exatamente com a informação que deveria estar ali, o resultado são pontos de cores diferentes, ou, traduzindo, o ruído.

Quando aumentamos o ISO além do ideal (200, na D300, por exemplo), não estamos aumentando a sensibilidade do sensor, mas pedindo ao processador de imagens que acrescente ganho às informações. Algo parecido com o ajuste de brilho do Photoshop. Isso amplia a informação das áreas bem iluminadas e facilita a captura com baixa luminosidade, mas o ganho também é aplicado às falhas, e o ruído torna-se ainda mais evidente.

Nos sensores FX, como cada pixel capta mais informação em virtude da menor densidade no sensor, ao subirmos a sensibilidade ISO o processador tem mais informação para trabalhar, e o ruído fica bem menos visível. Nos sensores DX ocorre o inverso. Como a quantidade de informação é menor não há como esconder tanto o ruído, bem mais pronunciado.

Eis que surge outro parâmetro: a nitidez.

A grande maioria das DSLRs tem controles específicos de nitidez, contraste e saturação. É importante destacar, no entanto, que isso não afeta em nada o trabalho do sensor. O sensor vai captar a informação luminosa da mesma forma, independente da regulagem. O que muda com a utilização desses controles é a forma como estas informações serão processadas pela câmera.

Por natureza, temos o costume de aumentar ao máximo a nitidez proporcionada pelas regulagens da câmera, em busca de mais nitidez da imagem final. A regulagem deste parâmetro não altera a captação física, mas indica ao processador de imagens quanto ele vai aplicar de contraste entre os pixels adjacentes, para dar a ‘impressão’ de maior nitidez.

Porém, ao regularmos uma nitidez maior, esta também é aplicada aos pixels inseridos pelo processador de imagens para cobrir as falhas de informação vindas do sensor, o que evidencia ainda mais o ruído.

E aqui vem a saída: reduzindo as variáveis da câmera para quase zero, temos uma imagem mais bruta, com muito menos interferência do processador de imagens. Posteriormente, tais alterações podem ser aplicadas na edição, na medida do fotógrafo, para obter resultados melhores e mais limpos em sensibilidades mais elevadas.

Qual a lógica disso tudo?

O processador de imagens da câmera tem um software que não recebe atualizações constantes. Com uma imagem mais brutas, parâmetros como redução de ruído, nitidez e contraste podem ser feitos posteriormente, em softwares mais atualizados, com algoritmos melhores, e o resultado será superior.

Vale lembrar que tudo foi feito em JPEG. No formato RAW, o resultado pode ser ainda melhor. Apesar do RAW ser um formato ‘bruto’, alguns parâmetros são aplicados pela câmera. No Lightroom, por exemplo, não há como baixar a nitidez além do mínimo pré-estabelecido pela câmera. A vantagem do RAW, juntamente com estas regulagens acima explicadas, é a possibilidade de ajustes ainda mais finos, já que a informação captada pelo sensor foi muito pouco alterada.

Fonte fotografia-dg.com

Como fotografar Newborn – Dicas para fotografia de recém nascidos

Fotografia newborn é a foto do bebê recém nascido. Parece simples fotografar o recém nascido, mas não é tão simples, existem algumas técnicas especificas e nesse artigo vou te dar diversas dicas de fotografia newborn. As dicas servem tanto para os fotógrafos profissionais, quanto para os papais e mamães que amam fotografia e querem fotografar seu lindo bebê que acabou de nascer.

1°A CÂMERA

O ideal é que seja uma câmera DSLR ou Mirrorless para você conseguir ajustar tudo com mais precisão, mas uma super zoom no modo retrato trará um bom resultado se bem manuseada.

2° ATÉ 20 DIAS DE NASCIMENTO

Para a fotografia ser “newborn”, como a tradução do nome já diz “recém nascido”, é imprescindível fotografar logo nos primeiros dias de vida, o ensaio tem que ser até 15 ou 20 dias do nascimento do bebê, depois disso ele já está maior, mais atento e com maior sustentação no corpinho (não irá ficar nas poses). Nesse prazo ele estará mais sonolento e bem com cara de recém nascido, afinal é isso que ele é. Depois de 20 dias dependendo do tamanho e agilidade da bebezinho, já é considerado foto de bebê mesmo, e a temática, ritmo e “esquema” para as fotos muda um pouco.

É importante já deixar tudo programado com os pais antes do bebê nascer, assim o ensaio sai no prazo e agrada a todos.

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

3° HORÁRIO E CLIMA

A maioria dos recém nascidos que conheço e que já fotografei ficam mais tranquilos e sonolentos pela manhã. Aproveite para fotografá-los nesses horários, pois será mais fácil de ajeitar o bebê e fazer os cliques.

O ideal é que você fotografe em um local mais quentinho para o bebê ficar mais calmo e a vontade. Se for verão, não terá problemas, mas se for inverno, leve um aquecedor (não leve aqueles que são de luz, irá atrapalhar na iluminação), existem vários bem baratos no mercado.

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

Combine com a mamãe do bebê para deixá-lo bem alimentadinho, pois assim estará mais tranquilo. O essencial da fotografia newborn é deixar o bebê o mais calmo possível.

4° A ILUMINAÇÃO

A iluminação da foto newborn é o grande diferencial para deixar a fotografia bonita. A luz suave é a luz mais utilizada, pois é uma iluminação com menos sombras, isso dá um “ar clean” e como o nome diz “suave” para o recém nascido. Essa é a iluminação que eu recomendo, principalmente se estiver começando a fotografar. Dá para usar uma luz mais dura, com mais sombras? Dá sim, mas o ideal é que só se aventure na luz dura quando estiver bem craque na luz suave e que mesmo assim, faça uma variação entre as duas. A minha dica é que garanta tudo que precisa com a luz suave e que depois vá para a luz dura.

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

Como fazer a luz suave para newborn Você pode e deve aproveitar a luz ambiente, principalmente a que está vindo pela janela. Se for preciso, leve um pufe e posicione próximo da janela. Posicione o bebê com a cabeça apontando para a janela, meio de lado, colocando o rostinho dele mais a favor da luz. A luz da janela te dará uma boa suavidade e naturalidade. Se for preciso use um flash para ganhar mais nível de luz, ou fazer determinado preenchimento, mas sempre tentando deixá-lo o mais parecido com a luz ambiente.

5° ACESSÓRIOS NEWBORN

Você pode fazer a fotografia newborn em estúdio, externa (parque, jardim e etc) e na casa do cliente. Muitas vezes fazer a foto na casa do cliente é a melhor opção, pois os pais estão se acostumando com a nova rotina ou a mamãe ainda está se recuperando do parto.

É fundamental que você compre alguns acessórios de produção para a foto newborn ficar bem criativa. Compre mantas (wraps) para enrolar o bebê de diversas cores, pois cada bebê tem um tom de pele. Um pufe médio e props para apoiá-lo, lacinhos para as meninas e algumas roupinhas temáticas.

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

Você pode também comprar um fundo móvel com algum tema, mas isso não é o mais importante no começo. Lembre-se sempre de combinar os tons dos acessórios, issa é uma das coisas mais essenciais da fotografia newborn.

6° POSES

A tarefa mais difícil sem sombra de dúvidas é posicionar o bebê recém nascido. O melhor antes de se aventurar profissionalmente nesse segmento (mesmo que você já seja um profissional de outrossegmentos), é que treine muito antes. E como treinar? Com seus filhos, sobrinhos, filhos dos amigos e etc.

Fazer um workshop especifico no segmento de newborn com foco em poses é uma boa opção. Lembre-se que o bebê acabou de nascer, ele é como uma joia, então coloque-o sempre com muito carinho nas posições, e se alguma não der certo, faça outra, não force-o. Leve um assistente para te ajudar a posicionar e estar o tempo todo ao lado do bebê para que nada de errado ocorra, e sempre que precisar, solicite aos pais ajuda, não tem problema você pedir para eles.

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

Um script bom para seguir é fotografar primeiro com os pais juntos, depois cada um separado com o bebê, depois os irmãozinhos e por ultimo o bebê sozinho. Fazendo isso você já vai acabar com parte da ansiedade dos pais e dos irmãozinhos, assim já libera todo mundo. Esse processo não pode ser muito demorado para o bebê não ficar cansado.

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

Recomendo que em toda posição que colocar o bebê, tire fotos de vários ângulos e com diversificados enquadramentos, assim terá muitas opções. Não é para sair clicando que nem doido (já vi isso..rsrs), é para pensar e fotografar, mas diversificar bem.

Faça enquadramentos abertos primeiro, depois médios e por ultimo os detalhes do bebê, para os detalhes o ideal é usar uma lente macro. Trabalhe também sempre desfocando o fundo e levemente o bebê, o desfoque soma para deixar a foto mais “clean”.

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

Dicas para fotografia Newborn Fotografia - Fotic

Fonte fotografiadicas.com.br

A Fotografia como um esporte

Gabriel Heusi – um apaixonado por diversas modalidades esportivas – se tornou especialista em fotografia de ação


IMG_6343
Fotos: Gabriel Heusi

Durante os últimos dez dias (de 10 a 20 de outubro) foi sediado pelo quinto ano consecutivo a Semana Guga Kurten, em Florianópolis, cidade natal do tenista mais querido do Brasil. O fotógrafo Gabriel Heusi, também residente da capital catarinense, foi escolhido como o fotógrafo oficial do evento. “Todo mundo trabalhando sincronizado para atender qualquer demanda, durante 13 dias direto e dormindo em média 5 horas por dia…”, comentou o fotógrafo em sua página no Facebook sobre a ‘maratona’ que acaba de concluir. Para esta cobertura ele contou com a parceria de seu amigo, também fotógrafo, Anderson Pinheiro, e sua esposa Kamila Zulian, responsável por distribuir as imagens para a mídia.
Um dia após o término do evento Gabriel conversa com o a equipe do Portal Photos e concede um entrevista exclusiva, para fazer parte da série especial com fotógrafos de esporte. Conheça um pouco mais deste atleta que virou fotógrafo e hoje clica quadras, pistas e natureza com a presença do elemento homem, sempre buscando saúde, ou seja, praticando esportes.

Idade
: 32 Anos
Naturalidade: Brasília
Graduação: Publicitário com Pós Graduação em Marketing.
Profissão: Fotógrafo
Equipamento fotográfico: Canon
Estado civil: Casado
Filhos: 1
Hobby: Surfar e jogar FIFA (rs)
Comida favorita: Uma boa costela
Música: MPB
Livro: Nuno Cobra – A semente da Vitória
Lugar: Costa da Lagoa – Florianópolis
Religião: Espírita
Planos para o futuro: Olimpíadas
Um momento bom: Quando recebi uma ligação dois dias antes dos Jogos Mundiais Militares para fazer a cobertura.
Contatowww.gabrielheusi.com / gabriel@gabrielheusi.com

bg007

Portal Photos: Como você entrou no universo da fotografia de esportes?
Gabriel Heusi: Quando mais jovem fui atleta de diversas modalidades, fiz natação, saltos ornamentais, capoeira, surf… Sempre gostei de imagens de ação, esportes e aventura, mas nunca conseguia imagens minhas. Acho que isso ajudou muito a escolher a fotografia esportiva.
PP: Quais as modalidades esportivas que você mais trabalha?
GH: Corrida de Aventura, Surf, Triatlon, Tênis e Vela.
bg_0001_4218

PP: Qual sua maior fonte de inspiração? Algum nome da fotografia que te serve como referência?
GH: Os atletas, pois sem eles nada acontece, sem a dedicação, sem sofrimento, sem alegria, dor e tudo o que o esporte proporciona, não teríamos as fotos que realmente não precisam de legendas. Não tem como não falar do trabalho do Ivo Gonzalez e gosto muito do trabalho do Bernard Brault e do Dave Black.
PP: Fale um pouco sobre este projeto que você está produzindo na Instituição Gustavo Kuerten.
GH: Venho fazendo alguns trabalhos com ele há algum tempo. Já fiz algumas fotos de treino para publicidade e alguns registros para acervo pessoal dele. Acho esse cara demais, carismático, sempre sorrindo e faz um trabalho social muito bom junto com as APAES de SC. O último que fiz para eles terminou neste domingo, dia 20, em que eu e minha equipe fizemos a cobertura fotográfica do terceiro maior torneio infantojuvenil de tênis realizado no Brasil, com mais de mil atletas de 16 países. A minha proposta foi contar como esse evento foi de uma forma que se assemelha com o estilo de vida do Guga, da forma como ele trata as pessoas e como ele é visto, um ídolo muito carismático e atencioso por todos.

IMG_6943

bg001

PP: O momento registrado que mais te marcou? Fale um pouco sobre ele…
GH: Nos jogos mundiais militares quando peguei uma cena quase na altura da água, em que uma atleta está fazendo um simples aquecimento antes de entrar na piscina e na foto ela aparece como se estivesse sorrindo para a foto e a água, as gotas d’agua fazem um efeito na imagem que achei lindo.
PP: Como você enxerga essa popularização das câmeras esportivas?
GH: Acho que não só aconteceu a popularização das câmeras esportivas, mas da quantidade de fotógrafos que temos nessa área. Mas, sempre falo para a minha equipe que quanto mais fotógrafo pra registrar um único momento maior a chance de você fazer as melhores fotos e até as mais diferentes. Enquanto todo mundo fica em um único e mesmo lugar fotografando vejo que é a hora de sair e buscar algo que somente eu estou vendo, e me focar nisso. Pois, hoje temos muitas fotos boas, fotógrafos fantásticos, mas poucos são as pessoas que enxergam o tema de uma forma que ainda ninguém viu.

bg003

PP: O que você deixaria como dica para quem pretende iniciar nesta área?
GH: Saia da zona de conforto, estude o esporte antes de fotografar, entre principalmente na cabeça do atleta e sinta o que ele sente. Pense que se você fizer isso, você não esta apenas fazendo uma boa foto, mas estará passando exatamente o que está acontecendo naquele momento.
PP: Algum momento ou situação que você gostaria de registrar e não teve oportunidade?
GH: Olimpíadas, mas estou buscando isso nos próximos anos e vou chegar lá.

bg005

bg006

Fonte photos.uol.com.br